quarta-feira, 31 de agosto de 2016

No dia em que deixei de ser o teu Anjo



Parte I
Um dia de inverno

Viva afinal o Inverno pode ser quente.
Sério? Como é possível entrar numa brincadeira só porque sim? Das conversas dos abraços virei um anjo. Senti-me um anjo que flutuava leve leve. Curiosamente era por tua culpa.

Talvez não saibas, só fui anjo porque nisso me transformaste...

Parte II
Ceia queimada

Tinha-mos mesmo de deixar queimar a ceia? Não há condições :(. ficas a dever-me uma, não me esqueço das promessas que me interessam. 

Parte III
Anjo caído

Bem sempre ouvi dizer que se vão os anéis e ficam-se o dedos. Que assim seja, vão-se as asas e com elas aquele abraço e o cheiro a chã. Ficam as lembranças.

Meu pequeno príncipe: 
“Mas nós corremos o risco de chorar um pouco quando nos deixamos cativar.”

Fugiste para o outro lado do espelho para além do país das maravilhas. Gostava que assim não fosse. Gostei de ser anjo por um dia.